Portal

"Campeões de publicidade"

  

Angola é um dos países membros da União Africana. A União Africana é a organização mãe no continente. Angola é um dos 53 países membros. A UA é a organização que substitui a OUA - Organização de Unidade Africa, criada em 1963 em Addis Abeba, capital da Etiopia e que visava unir esforço para que todos os países do continente se tornassem independentes. Uma vez conseguido o objectivo principal desta organização continental, ela deixou de se identificar com os principais problemas do continente, dando lugar a União Africana, em 2002 na conferência de Durban-Africa do Sul, liderada por Tabo Mbeki que foi seu primeiro presidente.

Objectivos

A União Africana tem como objetivos a unidade e a solidariedade africana. Defende a eliminação do colonialismo, a soberania dos Estados africanos e a integração económica, além da cooperação política e cultural no continente.

Órgãos

A União Africana possui vários órgãos para regular o funcionamento da entidades e as relações entre seus membros. Alguns exemplos são a Assembleia, o Conselho Executivo e a Comissão da UA.

A Assembleia da União Africana é formada pelos chefes de estado e de governo dos países membros, ou seus representantes devidamente acreditados; é o órgão supremo da União; em 2010 é presidida pelo malawiano Bingu wa Mutharika).

Outros órgãos possuem importância secundária. O Conselho Executivo da União Africana é composto por ministros ou outras autoridades designadas pelos governos dos estados membros. A Comissão da União Africana é o órgão responsável pela execução das decisões da Assembleia; é dirigido por um Presidente (em 2010, o gabonês Jean Ping), um Vice-Presidente e composto por oito Comissários, cada um responsável por uma área de actividade. O Comité de Representantes Permanentes da União Africana – responsável pela preparação das sessões do Conselho Executivo, é composto por Representantes Permanentes dos Estados-membros, acreditados perante a União.

O Comité de Paz e Segurança da União Africana foi estabelecido durante a Cimeira de Lusaka (Julho de 2001), este comité encontra-se ainda (2008) em processo de ratificação pelos Estados-membros. O Parlamento Pan-africano – é o órgão que assegura a participação dos povos africanos na governação, desenvolvimento e integração económica do continente, através do controlo e apoio aos parlamentos dos Estados-membros; é composto por 265 parlamentares, eleitos pelas legislaturas dos 53 estados-membros. O Conselho Económico, Social e Cultural da União Africana é o órgão consultivo da organização; os seus estatutos serão submetidos à Cimeira de Maputo.

Outros órgãos importantes são o Tribunal Judicial da União Africana, cujos estatutos serão submetidos à Cimeira de Maputo, e os Comités Técnicos Especializados, que são grupos de nível ministerial que estudam problemas em áreas específicas, como:
Comité sobre Economia Rural e Agricultura;
Comité sobre Assuntos Monetários e Financeiros;
Comité sobre Comércio, Alfândegas e Imigração;
Comité sobre Indústria, Ciência e Tecnologia, Energia, Recursos Naturais e Ambiente;
Comité sobre Transportes, Comunicações e Turismo;
Comité sobre Saúde, Trabalho e Assuntos Sociais; e
Comité sobre Educação, Cultura e Recursos Humanos;


A UA também conta com algumas instituições financeiras, a exemplo da Zona do Euro. Entretanto não há uma moeda única. O Franco CFA é utilizado em apenas alguns países de colonização francesa. As instituições financeiras são o Banco Central Africano, o Fundo Monetário Africano e o Banco Africano de Investimentos. Existem planos para a criação futura de uma moeda única, a chamada Afro (moeda).

Economia

Tal como a sua antecessora, a Organização da Unidade Africana, a UA promove a integração regional como forma de desenvolvimento económico. O objetivo final é a completa integração das economias de todos os países da África, numa Comunidade Económica Africana.

Neste momento, funcionam as seguintes organizações de integração regional:
A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO),
A Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC),
A Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC),
A Comunidade da África Oriental (EAC),
O Mercado Comum da África Oriental e Austral (COMESA) e
A União Árabe do Magrebe (UMA).

Como cada bloco é autônomo, uma crise inicial em um pilar não afetará diretamente os outros que sustentam o programa de integração continental.

Em 10/06/2015, foi ratificado, em encontro da UA no Cairo, a união dos países que formam a COMESA, EAC e SADC para a formação de uma zona de livre comércio única, buscando um Mercado comum. Essa comunidade deve entrar em vigor em 2017, a chamada Zona Tripartida de Livre Comércio (ZTLC).

Esse é, portanto, o primeiro passo de união dos pilares antes existentes, visando a unificação geral dos mercados africanos.

A União Africana possui 54 membros, cobrindo quase todo o continente africano. Marrocos decidiu não participar porque Saara Ocidental foi aceito como membro.

União Africana


África do Sul
Angola
Argélia
Benim
Botswana
Burkina Faso
Burundi
Cabo Verde Cabo Verde
Camarões
Chade
Comores
Costa do Marfim
Djibouti
Egito
Eritreia
Etiópia
Gabão
Gâmbia

Gana
Guiné
Guiné-Bissau
Guiné Equatorial
Lesoto
Libéria
Líbia
Madagáscar
Malawi
Mali
Maurícia
Mauritânia
Moçambique
Namíbia
Níger
Nigéria
Quênia
República Democrática do Congo

República do Congo
Ruanda
Saara Ocidental

São Tomé e Príncipe
Seicheles
Senegal
Serra Leoa
Somália
Suazilândia
Sudão
Sudão do Sul
Tanzânia
Togo
Tunísia
Uganda
Zâmbia
Zimbabwe

Publicidade